CAF (Cirurgia de Alta Frequência)

CAF (Cirurgia de alta frequência) é um procedimento cirúrgico no qual são utilizados equipamentos eletrocirúrgicos para corte retirada da área doente do colo com o mínimo dano ao órgão e permitindo a análise posterior da peça cirúrgica pelo patologista a fim de determinar se houve retirada completa ou não da lesão.

 

O objetivo do procedimento CAF é retirar a lesão e a zona de transformação na sua totalidade e enviar o tecido comprometido ao laboratório para exame. Deve-se causar o mínimo de artefato térmico para assegurar que o patologista possa ter condições adequadas para avaliar a extensão da lesão e as margens da mesma.

 

A principal aplicação desta técnica cirúrgica é no tratamento das lesões precurssoras do câncer do colo do útero, que são as lesões intraepiteliais de alto grau do colo uterino (NIC II E NIC III),usado também para tratamento das verrugas induzidas pelo vírus HPV.

 

É um procedimento que pode ser realizado de forma ambulatorial, com alta taxa de sucesso terapêutico, igual aos tratamentos tradicionais e sem repercussão sobre gestações futuras.

 

 

 

Este procedimento (CAF) pode tratar qualquer doença pré-malígna do colo do útero, vagina e vulva. Com a vantagem de além de tratar a lesão, permite o exame anatomopatológico do segmento retirado, assegurando o diagnóstico ( afastando a possibilidade de câncer oculto) e o tratamento da lesão.

 

O pós operatório de CAF requer alguns cuidados como abster-se de relações sexuais pelo período de 4 semanas, evitar esforços físicos nos primeiros dias de pós operatório, não há necessidade de nenhuma medicação , retorno de 7-10 dias ao consultório para revisão, controle citocolposcópico a cada 3-6 meses pelo período de 2 anos.

 

Em relação ao Cone clássico a vantagem do CAF é que a anatomia do colo fica mais preservada facilitando o controle colposcópico posterior.

 

TEXTO EXTRAÍDO E ADAPTADO DE: “PATOLOGIA DO TRATO GENITAL INFERIOR” – NELSON VALENTE MARTINS E JULISA C. L. RIBALTA – ROCA – 1 EDIÇÃO – 2005