HPV (DST)

HPV: papilomavírus humano

 

HPV é uma doença sexualmente transmissível muito conhecida.

É responsável na mulher pelas:

  • Verrugas genitais;
  • Lesões intra-epiteliais colo (LBG-lesāo intraepilial de baixo grau e LAG – lesāo intraepitelial de alto grau);
  • Lesões intraepiteliais da vagina, vulva e anus;
  • Também pelo câncer de colo uterino , vagina e vulva ( neste último a causa não é unicamente o HPV);
  • Pode tambëm causar lesões de boca e orofaringe.

 

Imagem ilustrativa da doença HPV

Fonte da imagem: Google

 

O HPV é considerado uma das DST mais prevalentes.

 

O fato de estar com alguma lesão causada pelo HPV não quer dizer que a mulher vá desenvolver câncer, este risco é muito pequeno, em torno de 0,5%.

 

O risco de contrair HPV ao longo da vida é de 80% . Após 2 anos de vida sexual ativa, 50 % das mulheres apresentam infecçāo genital induzida pelo HPV, porém apenas 10% terão algum tipo de doença visível.

 

A maioria das infecções pelo vírus é transitória e desaparece por completo em até 2 anos, e depende do estatus imunológico da mulher e do tipo de vírus envolvido.

 

Existem em torno de 200 tipos de HPV, destes 40 tem preferência pela região genital e 20 tem potencial cancerígeno. O tipo 16 e 18 são responsáveis por 70% dos cânceres do colo do útero e os tipos 6 e 11 são responsäveis por 90% das verrugas genitais.

 

A progressão das lesões intraepiteliais para câncer é lenta, é importante manter calma ao diagnóstico e procurar um médico especialista.

O diagnóstico das verrugas genitais é através do exame ginecológico e estas sāo visíveis a olho nu.

 

As lesões do colo e vagina são diagnosticadas em geral pelo exame preventivo (Papanicolau) alterado, depois a colposcopia indica o local onde está a lesão e qual o melhor local de biópsia quando indicada e ésta indica a gravidade da lesão.

 

Os testes específicos ( PCR e CH )para diagnosticar o vírus estão indicados em alguns casos específicos ( ASCUS E controle de casos que foram tratados por LESÃO DE ALTO GRAU , onde a eliminação completa do vírus melhora o prognóstico) e geralmente em mulheres após os 30 anos ( mulheres abaixo desta idade tem positividade alta e o HPV vai ser eliminado sem nenhuma interferência médica na maioria dos casos e a positividade do mesmo não é indicativa de tratamento, apenas de seguimento mais assíduo).

 

O tratamento é focado nas lesões provocadas pelo HPV, não existe tratamento para o vírus, apenas para as lesões provocadas pelo vírus.

 

Pode ser desde apenas conduta expectante, destruição química,retirada, laser ou uso de medicamentos imunomoduladores.

 

Quem definirá qual o tratamento indicado para o seu caso é o seu ginecologista.

 

Fonte: “PATOLOGIA DO TRATO GENITAL INFERIOR” – NELSON VALENTE MARTINS E JULISA C. L. RIBALTA – ROCA – 1 EDIÇÃO – 2005