Infecções vulvares mais comuns

Você conhece quais são as infecções vulvares mais comuns? Já teve ou conhece alguém que teve uma infecção na região íntima? Hoje trago as três mais frequentes. Se você está sentindo algum sintoma diferente do normal, agende uma consulta médica para que um(a) profissional da área possa diagnosticar corretamente. 

 

Para iniciarmos este assunto: a vulva é a parte externa do trato genital inferior, corresponde ao monte pubiano, grandes lábios, pequenos lábios e clitóris. Esta região é frequentemente atingida por algum processo inflamatório que pode levar ao desconforto, dor ou prurido (coceira).

 

 

Infecções vulvares

  • CANDIDÍASE

É uma causa frequente de inflamações na vulva. Das cândidas, a mais comum é a Candida albicans (85%), seguido da Candida glabrata e da Candida tropicalis. Estima-se que 75% das mulheres irão desencadear ao menos um episódio de vulvovaginite por cândida durante a vida e, dessas, 5% irão cursar com episódios de recorrência.

 

Existem situações que predispõe o aparecimento de candidíase, como: gravidez, uso de anticoncepcionais com alta dose de estrogênio, terapia de reposição hormonal somente com estrógenos e o Diabetes, pois propiciam o aumento de concentração de glicogênio vaginal com acidificação do meio e proliferação do fungo. Outras situações como o uso de DIU, antibióticos, doenças da tireóide, obesidade, uso de corticoides ou outras drogas que diminuem a imunidade, parecem aumentar o risco de infecção também.

 

Lembrando, que a Candida faz parte da flora vaginal normal da mulher e não é considerada uma IST. As infecções podem ser esporádicas, de grau leve, moderado ou grave e ainda recorrentes (CVVR). A candidíase vulvovaginal recorrente se caracteriza por 4 ou mais episódios em 12 meses.

 

  • TÍNEA CRURIS

É uma infecção comum em homens e mais rara em mulheres. Os fatores desencadeantes são calor e umidade, são mais comuns na região inguinal embora possam atingir grandes e pequenos lábios desde o contato até o aparecimento de lesões. 

 

  • HERPES SIMPLES

A infecção vulvar pelo Herpes pode ser adquirida a partir de lesões orais ou genitais do parceiro sexual, o qual poderá não apresentar sintomas. O período desde o contato até o aparecimento de lesões varia de 2-26 dias com uma média de 7 dias. Geralmente iniciam-se com pequenas pápulas avermelhadas seguida de micro bolhas (vesículas) agrupadas com conteúdo transparente. Quando se rompem, dão origem a pequenas úlceras geralmente muito dolorosas e que podem levar até 3 semanas para desaparecer completamente.

 

É importante um exame da região afetada para poder diagnosticar e tratar corretamente. Se você sentir algum sintoma, desconforto, coceira diferente do normal, consulte seu médico(a) ginecologista. 

 

Fonte da imagem: Freepik [https://br.freepik.com/fotos-vetores-gratis/mulher]