O que são os Hormônios Bioidênticos

Com frequência recebo no consultório o seguinte questionamento: “Dra., a senhora prescreve hormônios bioidênticos?”

Hormônios bioidênticos têm sido apresentados como substâncias hormonais que possuem exatamente a mesma estrutura química e molecular encontrada nos hormônios produzidos pelo nosso corpo, porem não é bem isso. Os hormônios bioidênticos são formulações hormonais produzidas em laboratórios de manipulação como se fossem novas opções de tratamento quando, na verdade, são produzidos há anos pela indústria farmacêutica.

Eles estão disponíveis em inúmeros produtos já comercializados. Por exemplo, quando o seu médico prescreve tiroxina (hormônio tireoidiano), estradiol e progesterona natural (produzidos pelo ovário), testosterona (hormônio masculino), hormônio de crescimento e outros, está receitando hormônios bioidênticos.

 

Deve-se salientar que formulações manipuladas podem apresentar diferenças quanto a sua composição quando comparadas com produtos comercialmente aprovados. Outro ponto é a escassez de estudos randomizados na literatura, estudos estes que podem responder a questões de segurança, o que tem levantado até mesmo questões do ponto de vista ético.

 

Terapia com Hormônios Bioidênticos

A Terapia Hormonal é o tratamento mais eficaz para os sintomas da menopausa, por exemplo. Trazem melhora importante na qualidade de vida quando bem indicada, mas algumas pessoas não podem usar. Estar ciente dos riscos e benefícios e da segurança é questão primordial. Em 2002, após a publicação do estudo WHI (que levantou preocupações quanto ao risco de tromboembolismo venoso, câncer de mama e AVC) houve redução de 70% das prescrições de TH. Convencionou-se, então, que a terapêutica deveria ser com a menor dose possível e pelo mínimo de tempo necessário para aliviar os sintomas.

Embora muitos médicos defendam que os bioidênticos sejam a chave para reduzir o processo de envelhecimento do corpo de maneira natural, nada está comprovado cientificamente. A população deve tomar cuidado com tais promessas, pois eles são produzidos de maneira artificial como as demais Terapias Hormonais da indústria farmacêutica.

 

E o chip da beleza?

Quanto aos implantes de gestrinona, conhecidos popularmente como “chip da beleza”, nada tem a ver com o implante anticoncepcional produzido pela indústria farmacêutica e que tem estudos de comprovação e segurança bem estabelecido. O “chip da beleza” é um implante manipulado e passou a ser assim chamado por ter um possível efeito estético (reduzir a gordura corporal e ganho de massa magra) e ser tradicionalmente usado por modelos, atrizes e famosos. Porém, hormônios não devem ser utilizados para finalidades estéticas, pois ainda faltam estudos que comprovem a eficácia e apresentem os possíveis riscos.

 

Ao pensar em reposição hormonal o mais importante é a segurança da paciente sentada à nossa frente. A Terapia Hormonal tem indicação para algumas patologias ginecológicas. Quando receitada, deve ser usada para melhorar a qualidade de vida das pacientes, pois alguns sintomas, para algumas mulheres, podem ser muito inconvenientes atrapalhando a vida social e pessoal. Na hora da prescrição, o médico sempre deve colocar na balança os benefícios e os riscos, seguindo em frente se os benefícios forem maiores.

 

Conte aqui se você faz algum tratamento hormonal ou se esta publicação ajudou você de alguma forma. 🙂

Fonte da imagem: Freepik [https://br.freepik.com/fotos-vetores-gratis/fundo]